6ª Virada Inclusiva - Participação Plena!



Por que realizar a VIRADA INCLUSIVA? Porque além de celebrar o DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, possibilita que todos, pessoas com e sem deficiência, possam estar juntos em ações inclusivas nas ruas, praças, parques, museus e teatros no Estado de São Paulo.

Idealizado e coordenado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o evento é gerido pela Abaçaí Organização Social de Cultura e conta com uma ampla rede de parceiros e colaboradores voluntários, dos mais diversos setores, que realizam inúmeras atividades culturais, esportivas e de lazer, que formam uma extensa programação gratuita e acessível em todo o Estado de São Paulo, em uma grande celebração da diversidade humana.

O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência é celebrado no dia 03 de dezembro. O tema para 2015 ainda não foi proposto pela ONU - Organização das Nações Unidas.

Desde 2010, a Virada Inclusiva reúne representantes da sociedade civil organizada e pessoas de todas as classes que, em comunhão, celebram esse dia criando uma agenda que atenda a todos e que traga, em sua essência, o tema proposto pela ONU, além de prestar homenagem a exemplos da humanidade.

A VIRADA INCLUSIVA cresce a cada ano, sinal de que cada vez mais pessoas estão aderindo ao movimento pela inclusão da pessoa com deficiência. Isso é fruto do trabalho de todos os nossos parceiros que acreditaram ser possível realizar atividades para todas as pessoas, tenham elas deficiência ou não.

Chegamos à 6ª edição com resultados positivos e com certeza esse ano não será diferente. Envie sua programação para que todo o Estado de São Paulo saiba como será celebrado esse dia tão importante na história da inclusão da pessoa com deficiência.

 

Fique atento à programação que será realizada nos dias 03, 05 e 06 de dezembro de 2015.



Porque flicts é a cor oficial da Virada?


Flicts é o título de um dos livros mais conhecidos do escritor Ziraldo. Existe uma forte sintonia entre a obra e o espírito do evento.

No livro, Flicts era uma cor discriminada porque "não tinha a força do Vermelho, não tinha a imensidão do Amarelo, nem a paz que tem o Azul" até o dia em que percebeu que era, na verdade, a cor da Lua.